quinta-feira, 23 de abril de 2009

SÍNDICA DO UNIVERSO














Era de manhãzinha. A luz do sol, coada pelas copas das árvores, desenhava lindos bordados pelo chão das alamedas, onde os pássaros cantavam nos galhos das azaléias multicoloridas, numa cena digna de cartão postal europeu. Eu ia caminhando e lendo um romance tranquilamente, segurando numa mão o livro e na outra a coleira da cachorrinha.
- Ô! alguém exclamou.
Eu parei, e ainda demorei alguns segundos até juntar as duas coisas, voz e dona. Era uma mulher desconhecida minha, trajando a fantasia completa de perua: calça legging vermelha, mini-blusa de oncinha, tamanco alto dourado, muitas jóias ou semi-jóias, e uns óculos escuros desse tamanho. O cabelo vermelhão, muito eloqüente.
- Falou comigo?
Maldita hora. A perua era metida a síndica do universo, cheia de ditar normas e lamentar o descaso daqueles indivíduos que, malgrado morarem em tão elegante condomínio, não demonstravam a menor consideração para com os demais, abandonando os dejetos caninos expostos em via pública e com isso ocasionando inevitáveis desconfortos deambulatórios para os demais moradores...
- É comigo isso tudo aí?
Não era nada específico. Porque ela até via que eu portava o fabuloso e utilíssimo saquinho cata-caca, fornecido gratuitamente (até parece!) a cada unidade pela atual administração, e blá, blá, blá...
A perua parecia que ia passar o resto da manhã regurgitando regras, porém de repente um calor esquisito começou a me subir, vindo da zona sul em direção à zona norte, e eu não agüentei:
- Escuta aqui, dona. Con-do-mí-nio, para quem entende do vernáculo, é o domínio de vários. Eu estou aqui tentando exercer em paz o meu sagrado direito de ir e vir, no que estou sendo obstada pela sua ignóbil preleção. Trocando em miúdos: a senhora vá procurar a rodilha aonde quebrou o pote!
E lá fui eu, com um sorriso maligno nos lábios, piscando um olho para a minha fiel companheira, a supra mencionada cachorrinha, que por sinal sempre admirou o meu altíssimo saber jurídico. Talvez eu devesse procurar uma ilha deserta...

foto: web

4 comentários:

Anônimo disse...

Até parece que isso aconteceu mesmo! You wish!

angela disse...

A luz do sol, coada pela copa das árvores...
muito linda a imagem.

Suzi disse...

Procurar a rodilha onde quebrou o pote é ótimo e vou usar.
beijos!

João Eduardo Q. C. disse...

Uia! Gastou o bacharelado com a perua. (Rs)

Beijos